Voltalia obtém incentivos fiscais para empreendimentos no Rio Grande do Norte

Ministério enquadrou duas usinas ao Reidi, num total de 71 MW de potência instalada e R$ 216,6 milhões em investimentos sem encargos

A Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia enquadrou as centrais de geração eólica Filgueira I e II junto ao Regime Especial para o Desenvolvimento da Infraestrutura (Reidi), segundo despachos publicados no Diário Oficial da União (DOU) e no portal do MME. O Reidi prevê a isenção de PIS/PASEP e Confins na aquisição de bens e serviços para empreendimentos de infraestrutura.As usinas, que pertencem a multinacional Voltalia, serão construídas no município de Areia Branca, no Rio Grande do Norte, com período de execução previsto de fevereiro do ano que vem até dezembro do mesmo ano. O projeto da EOL Filgueira I compreende oito aerogeradores de 3,5 MW, totalizando 28,4 MW, enquanto a outra central contará com 12 unidades geradoras, perfazendo 42,6 MW de capacidade instalada. Com o enquadramento ao Regime Especial, o valor total a ser aplicado nos respectivos ativos é de aproximadamente R$ 216,6 milhões, sendo R$ 103 milhões da primeira usina e R$ 154,6 milhões da segunda.

Fonte: Canal Energia

Copel vence licitação para construir novo complexo eólico no Rio Grande do Norte

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) está entre as vencedoras de um leilão promovido nesta sexta-feira (18) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para a construção de novas usinas de geração eólica no Rio Grande do Norte. O contrato será de 20 anos e a futura venda da produção de energia do Complexo Eólico de Jandaíra sairá por R$ 98 o MWh.

O início do fornecimento está programado para 2025 – as obras dos quatro parque eólicos que vão compor o complexo começam no ano que vem, ao custo de R$ 400 milhões.

A Copel já tem cinco complexos em operação no Rio Grande do Norte, com operações que somam 643,4 MW de potência instalada, o suficiente para atender cerca de 2 milhões de pessoas. A empresa é segunda maior geradora de energia eólica do estado nordestino – e a sexta do Brasil.

Fonte: Gazeta do Povo

Rio Grande do Norte arremata 12 projetos eólicos no leilão A-6

O Rio Grande do Norte receberá 12 novos parques eólicos até o final de 2025, totalizando mais 161,800 megawatts (MW) de potência instalada. Os novos parques eólicos foram contratados no leilão A-6 realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na última sexta feira, dia 18.

O estado também receberá mais duas usinas solares com potência total instalada de 80 MW.

Leilão

O resultado do leilão A-6 superou previsões feitas no mercado com a contratação de 1.155 MW médios de energia, mesmo com o aumento do preço médio final de venda em relação ao A-6 anterior, em 2018. Os investimentos nos projetos são estimados em R$ 11,2 bilhões.

O certame contratou 91 novas usinas, sendo 27 hidrelétricas, 44 eólicas, 11 solares fotovoltaicas, seis termoelétricas (UTEs) a biomassa e três UTEs a gás natural, o que soma 1.155 MW médios de energia contratada.

O preço médio da energia contratada foi de R$ 176,09/MWh, deságio de 39,5% em relação aos preços-tetos.

Fonte: Aneel/CERNE