lt_02_2017

Leilão de transmissão contrata quase R$9 bilhões; confira lotes arrematados

O leilão para novos empreendimentos de transmissão de energia desta sexta-feira (15) recebeu a inscrição de 47 proponentes interessados, entre empresas e consórcios, informou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Os investimentos são estimados em R$ 8,7 bilhões.

O 1º lote teve 4 concorrentes e foi arrematado pelo consórcio liderado pela francesa Engie. O 2º lote foi disputado por 10 consórcios e arrematado pela Celeo Redes Brasil S.A. com uma proposta com deságio de 53,21%. O lote 3 teve disputa de 5 interessados e foi arrematado pelo grupo indiano Sterlite Power Grid Ventures Limited, com deságio de 35,72%. O 4º foi disputado por 10 consórcios e foi arrematado pela Neoenergia, com deságio de 46,62%.

Entenda o leilão

Pelas regras do leilão, vence cada um dos 11 lotes oferecidos o grupo que aceitar receber o menor valor pela construção e operação da linha e subestações. A remuneração máxima anual foi fixada pelo edital em R$ 1,534 bilhão, na soma de todos os lotes.

Ao todo estão sendo oferecidos 4.919 km de linhas de transmissão e 10.416 MVA em capacidade de subestações, que vão passar pelos estados do Paraná, Piauí, Ceará, Pará, Tocantins, Bahia, Minas Gerais, Paraíba, Rio Grande do Norte e Pernambuco. A previsão da Aneel é que as obras devem durar de 32 a 60 meses, dependendo do lote, e que devem gerar 17.869 empregos diretos.

Os leilões de linhas de transmissão ocorrem todos os anos e servem para aumentar a oferta de energia e também para fortalecer o sistema elétrico. A remuneração das empresas que vencerem os leilões será paga pelos consumidores na conta de luz.

Este é o segundo leilão de transmissão de 2017 e o último leilão do ano de projetos do Programa de Parceria de Investimentos (PPI) do governo Michel Temer.

“O leilão realizado hoje resultou em uma ótima competição e resultados para o Ceará. Os investimentos superiores a R$ 1,5 bilhões em obras previstas vão garantir melhoria da capacidade de escoamento de energia renovável, principalmente para a região Nordeste”, analisa o Presidente do Sindicato das empresas do Setor Energético do Rio Grande do Norte (SEERN), Jean-Paul Prates.

Confira os vencedores em cada um dos lotes:

Lote 1 foi arrematado pela Engie Brasil Transmissão, que ofereceu uma receita anual permitida (RAP) de R$ 231,725 milhões, deságio de 34,8% em relação à receita máxima determinada pela Aneel, de R$ 355,407 milhões. O lote 1 inclui 1.146 quilômetros de linhas de transmissão dentro do Paraná, além de cinco subestações. A finalidade dos ativos é o atendimento elétrico ao Estado. A Aneel estima que serão necessários investimentos de R$ 2,017 bilhões para a conclusão das obras, que devem gerar 4.034 empregos diretos e cujo prazo para término é de 60 meses.

A empresa Celeo Redes Brasil (antiga Elecnor), por sua vez, levou o Lote 2 ao oferecer RAP de R$ 85,271 milhões, com deságio de 53,21% em relação ao montante máximo, de R$ 182,271 milhões. Este lote compreende 441 quilômetros de linhas de transmissão nos Estados de Ceará e Piauí, além da construção de três subestações, com o objetivo de atender o escoamento da geração de energia eólica do litoral do Maranhão, Piauí e Ceará. A agência reguladora calcula que os investimentos necessários somam R$ 1,042 bilhão e devem ser criados 2.085 empregos diretos. O prazo para conclusão é de 60 meses.

Pelo Lote 3, a indiana Sterlite ofereceu uma receita anual permitida de R$ 313,1 milhões, deságio de 35,72% em relação à receita máxima determinada pela Aneel, de R$ 487,145 milhões. O lote inclui 1.831 quilômetros de linhas de transmissão nos Estados de Tocantins e Pará, com o objetivo de fazer a expansão das interligações Norte-Sudeste e Norte-Nordeste. Além disso, o linhão faz parte da solução de escoamento da megausina de Belo Monte, no rio Xingu (PA), para a região Nordeste, que foi prejudicado pela paralisação das obras da Abengoa no fim de 2015. Os investimentos são estimados em R$ 2,78 bilhões para a conclusão das obras em 60 meses, com a geração de 5.560 empregos diretos.

A Neoenergia levou o Lote 4 ao oferecer RAP de R$ 126 milhões, um deságio de 46,62% em relação ao valor máximo, de R$ 236,079 milhões. O lote inclui 729 quilômetros de linhas de transmissão nos Estados de Piauí, Tocantins e Bahia, que vão expandir as interligações Norte-Sudeste e Norte-Nordeste e escoar energia eólica da região Nordeste. Este lote também contribui para transmitir a energia de Belo Monte. Os investimentos devem somar R$ 1,345 bilhão e a obra deve criar 2.691 empregos diretos.

Após disputa em viva-voz com a CPFL, a paranaense Cesbe ficou com o Lote 5, que inclui uma subestação de 1.800 megawatt-ampere (MVA) no Rio Grande do Norte, para a expansão da rede básica para escoamento do potencial eólico da região Nordeste. O lance vencedor foi de receita anual permitida de R$ 14,431 milhões, deságio de 53,94% em relação à receita máxima, de R$ 31,33 milhões.  A Aneel estima que serão necessários investimentos de R$ 193,8 milhões para a conclusão das obras, que devem gerar 533 empregos diretos. O prazo para conclusão das obras é de 42 meses.

A Neoenergia também arrematou o Lote 6, com oferta de RAP de R$ 57,325 milhões, deságio de 44,56% em relação à máxima, de R$ 103,41 milhões. O Lote 6 abrange 345 quilômetros de linhas de transmissão nos Estados da Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará, além da construção de uma subestação, com o objetivo de atender o escoamento dos futuros empreendimentos de geração eólica e solar. Os investimentos somarão R$ 584 milhões e a geração de empregos deve somar 1.168.

Lote 7 ficou para a Construtora Quebec, que ofertou receita anual permitida de R$ 32,6 milhões, deságio de 34,65% sobre a máxima, de R$ 49,888 milhões. A Aneel estima que serão necessários investimentos de R$ 276 milhões para a conclusão das obras, que devem gerar 533 empregos diretos. O Lote 7 inclui 165 quilômetros de linhas de transmissão em Minas Gerais, com a finalidade de reforçar a capacidade de transmissão da interligação Nordeste-Sudeste, para escoar adequadamente os atuais e futuros empreendimentos de geração previstos no Nordeste.

Pelo Lote 8, o Consórcio Linha Verde ofertou RAP de R$ 32,978 milhões, deságio de 35,5%. O grupo, formado pela Quebec Apiacás Engenharia e pela Construtora Quebec, deverá investir R$ 283 milhões para finalizar as obras, que devem gerar 567 empregos diretos. O Lote 8 inclui 189 quilômetros de linhas de transmissão em Minas Gerais, com a finalidade de reforçar a capacidade de transmissão da interligação Nordeste-Sudeste, para escoar adequadamente os atuais e futuros empreendimentos de geração previstos no Nordeste.

A EEN Energia disputou em viva voz com o Consórcio BR Energia e acabou levando o Lote 9, ao oferecer uma receita anual permitida de R$ 9,09 milhões, deságio de 47,86%.  O Lote 9 inclui um trecho de 50 quilômetros de transmissão e a construção de uma subestação na Bahia, para atendimento às cargas no Sul do estado. A Aneel estima que serão necessários investimentos de R$ 106,7 milhões para a conclusão das obras, que devem gerar 304 empregos diretos com prazo de 42 meses.

O Consórcio BR Energia/Enind Energia ficou com o Lote 10. O grupo, formado por BR Energias Renováveis, Brasil Digital Telecomunicações e Enind Engenharia, ofertou RAP de R$ 7,285 milhões, deságio de 40%. Deverá investir R$ 71,7 milhões e gerar 204 empregos diretos para concluir as obras do trecho de 23 quilômetros de transmissão e uma subestação em Pernambuco, para atendimento à região dos municípios de Limoeiro e Carpina.

Por fim, a Montago Construtora levou o Lote 11, que engloba uma subestação na cidade de Goiana, em Pernambuco, para suprimento às cargas da Zona da Mata Norte de Pernambuco e do Litoral Sul Paraibano. A empresa ofertou RAP de R$ 4,030 milhões, deságio de 52,91%. A Aneel estima que serão necessários investimentos de R$ 44,7 milhões para a conclusão das obras, que devem gerar 149 empregos diretos. O prazo para conclusão é de 36 meses.

Fonte: SEERN Press com informações do Portal G1/Valor Econômico

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *