Foto: pensargrandeilheus.blogspot.com

Leilão de transmissão viabiliza R$ 6,9 bilhões em investimentos no Brasil

O Leilão de Transmissão Nº 13/2015, realizado nesta quarta-feira, 13 de abril, viabilizou R$ 6,9 bilhões em novos investimentos em linhas e subestações de transmissão. O montante representou 56% dos R$ 12,2 bilhões previstos pela agência. Dos 24 lotes ofertados, 14 receberam propostas. O deságio médio final do certame ficou em 2,96% em relação a Receita Anual Permitia máxima oferecida pela Agência Nacional de Energia Elétrica.

Em geral, os lotes foram arrematados por empresas de menor porte e com pouca tradição nos leilões de transmissão da Aneel. Segundo o diretor da agência José Jurhosa, a estruturação dos lotes foi o que permitiu a entrada de novos agentes. Ele garantiu que a Aneel está atenta a esses novos players para que as obras sejam efetivamente construídas. “Estamos fazendo de tudo para nos cercar de informações sobre as empresas” , declarou.

Para ele, em contexto de crise econômica e política no país, o leilão terminou bem-sucedido. Os lotes que não tiveram interessados serão objeto de uma nova avaliação técnica pela Aneel e serão levados a licitação em julho. Jurhosa descartou qualquer elevação da RAP.

Felipe Fedalto, diretor de Desenvolvimento de Novos Negócios do GeoGroup, parabenizou o trabalho feito pela Aneel, pois a redução do tamanho dos projetos permitiu que a empresa participasse e arrematasse o lote X com um deságio de 11,36% sobre a RAP máxima. “A existência de lotes em menor proporção permitiu que epecistas, especialistas em linhas de transmissão e subestações como nós, participassem também como concessionário. É caminho certo a ser seguido, e certamente vão ter novas empresas médias como nós participando, trazendo competitividade ao leilão”, avaliou.

Além de gigantes como a State Grid, Alupar, Taesa e o Fundo Pátria Investimentos, venceram empresas como Zopone Engenharia e Comércio, MPE Engenharia e Serviços, WPR Participações (do grupo WTorre) e GeoGroup.

Em nota, o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga disse que o resultado “foi bom”, pois demonstra que o interesse dos investidores no setor elétrico também é verificado no segmento de linhas de transmissão.

As linhas leiloadas levarão investimentos e empregos para 12 Estados: Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins. De acordo com dados da Aneel, a construção dessas linhas vai gerar quase 17 mil empregos diretos.

Para o Diretor Setorial de Engenharia e Infraestrutura Elétrica do CERNE, engenheiro Milton Pinto, apesar de ter sido um grande leilão, onde foram leiloados 6500 km de linhas de transmissão, apenas 14 dos 24 lotes foram contratados, somando um total de 3.402 Km. O Rio Grande do Norte foi felizmente contemplado pelo Lote I, com 10 km de uma linha de transmissão, situada entre as subestações de João Câmara II e João Câmara III.

Fonte: Wagner Freire – Agência CanalEnergia, com informações do CERNE Press

1 responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *