barragens-do-seridc3b3-100_21

Ministro da Integração apresenta avanços para a segurança hídrica no Rio Grande do Norte

O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, apresentou na segunda-feira (30) os investimentos que a Pasta vem fazendo para garantir a segurança hídrica no Rio Grande do Norte. Durante seminário na capital potiguar sobre a escassez de água no estado, o ministro falou sobre a retomada das obras do Eixo Norte do Projeto de Integração do São Francisco, hoje em pleno andamento e com 94,96% de execução física.

“Nosso objetivo é fazer com que as águas cheguem ao Ceará nos primeiros meses de 2018 e, na sequência, beneficiem o Rio Grande do Norte, já no segundo semestre”, explicou o ministro, ao detalhar o avanço do Projeto São Francisco. “Estamos atuando de forma diligente para que não haja atraso nos prazos. Não é um cenário simples, há o desafio da obra física e do enchimento dos reservatórios, mas estamos trabalhando com absoluto compromisso e empenho”, completou.

A água do ‘Velho Chico’ percorrerá os canais do Eixo Norte até chegar ao Rio Piranhas, na Paraíba. De lá, descerá por gravidade até o reservatório Armando Ribeiro Gonçalves, no Rio Grande do Norte, para beneficiar 900 mil habitantes em 51 municípios do estado. O Eixo Leste do Projeto, inaugurado em março deste ano, já garante o atendimento de aproximadamente um milhão de pessoas em mais de 30 cidades de Pernambuco e Paraíba. O São Francisco evitou que diversas cidades, a exemplo de Campina Grande (PB), entrassem em colapso hídrico, explicou o ministro.

Além do São Francisco

Helder Barbalho falou também sobre outras iniciativas da Pasta, em parceria com o governo estadual, para garantir mais recursos hídricos ao Rio Grande do Norte. Um deles é o Ramal do Apodi, que teve o projeto executivo concluído neste ano. Quando estiver pronta, a obra deverá beneficiar cerca de 370 mil pessoas em 44 municípios.
“A realidade da seca é especialmente desafiadora em regiões com histórico de escassez de chuvas, como o semiárido. O Governo Federal, porém, vem fazendo sua parte ao entregar obras estruturantes e garantir ações emergenciais para levar água a quem precisa. E, mesmo com o quadro de dificuldade fiscal, asseguramos que os programas federais voltados ao convívio com a seca fossem preservados na execução do orçamento da União”, afirmou o ministro.

Os esforços do Governo Federal também garantiram a ampliação de repasses para as obras estruturantes na região semiárida. No estado potiguar, a Barragem Oiticica está com 53% de execução, e a conclusão é prevista para setembro de 2018. “Em 2017, o governo já repassou R$ 44 milhões para a obra. O Sistema Adutor Currais Novos foi concluído e está em fase de testes. Também estamos preparando a recuperação de 24 barragens no estado”, acrescentou o ministro.

Mais desenvolvimento regional

Além dos recursos para obras estruturantes e ações emergenciais, o estado do Rio Grande do Norte tem como grandes aliados o Fundo Constitucional de Financiamento (FNE) e o Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE), administrados pelo Ministério da Integração. Por meio desses instrumentos, o Governo Federal oferece financiamentos com juros reduzidos e melhores carências para empreendedores nas cidades e no campo.

Até o terceiro trimestre deste ano, o FNE contratou mais de 25 mil operações de crédito no estado, o que representou R$ 661,6 milhões em investimentos. “Se compararmos o mesmo período do ano passado, o valor contratado cresceu 59%, priorizando empreendedores de pequeno e médio porte e contemplando também agricultores familiares”, observou o ministro.
Já o FDNE, destinado a empreendimentos de grande porte, inclusive na área de infraestrutura, financiou 20 projetos no Rio Grande de Norte. Os valores somam R$ 3,2 bilhões desde 2007.  Entre os setores contemplados, foram apoiadas empresas dos segmentos industrial e energético, com investimentos em energia eólica.

Fonte: MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *