Foto: genttesa.jor.br

RN cadastra projetos de energia eólica e solar em novo leilão

O Rio Grande do Norte teve 206 projetos de energia eólica e 56 de energia solar cadastrados para o 2º Leilão de Reserva 2016, previsto para 28 de outubro. Os projetos de eólica têm oferta de somada de 5.118 Megawatts (MW), a segunda maior entre os 12 estados que disputarão com essa fonte de energia. A liderança está com a Bahia, com 242 projetos e 6.216 MW. Os números foram divulgados ontem pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Os projetos cadastrados ainda passarão pela fase de habilitação, onde será analisado se estão aptos a participar do leilão.

No caso da energia solar, o RN tem 1.610 MW cadastrados – a terceira maior oferta de energia, atrás da Bahia (2.855 MW) e do Piauí (2.057). Dez estados tiveram projetos de energia solar fotovoltaica inscritos na disputa.

Ao todo, a Empresa de Pesquisa Energética – EPE cadastrou 1.192 projetos para o  Leilão, considerando as duas fontes de energia e todos os estados. São 799 de energia eólica e 393 de energia solar fotovoltaica, somando 33.225 MW em capacidade instalada.

Os leilões são importantes porque as empresas vencedoras conquistam mercado de longo prazo, ganhando fôlego para construir os empreendimentos. Por consequência, acabam gerando centenas de empregos em cada obra e aquecendo também a indústria fornecedora e outros segmentos relacionados.

Um outro leilão de Energia de Reserva que estava previsto para o final de julho, porém, está incerto. Em entrevista na semana passada, no Rio de Janeiro, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, informou que o governo federal admitiu o “provável o cancelamento” do primeiro Leilão. Para este, a EPE  já havia cadastrado 428 projetos que representavam 10.195 megawatts de potência instalada.

Transmissão
Também ontem, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou que vai realizar no dia 2 de setembro um leilão de novos empreendimentos de transmissão. O edital do leilão foi aprovado durante reunião da diretoria da agência reguladora.

Serão implantados cerca de 6,6 mil quilômetros de linhas de transmissão e 13 subestações – estruturas necessárias para escoar a energia. As instalações deverão entrar em operação comercial no prazo de 48 a 60 meses a partir da assinatura dos contratos de concessão, prevista para o dia 25 de novembro de 2016.

Serão licitados 22 lotes de empreendimentos localizados na Bahia, Ceará, Goiás, Espirito Santo, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte. Segundo a Aneel, a expectativa de investimentos é de R$ 11,8 bilhões e geração de 24 mil empregos diretos.

Fonte: Agência Brasil | Tribuna do Norte

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *