Posts

energia-eolica-aerogerador-696x355

Energia eólica tem alta de 19% na capacidade instalada em 2017

Os projetos de energia eólica no Brasil atingiram 12,7 gigawatts (GW) em 2017, aumento de 19% em relação a 2016, segundo informações da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica).

O segmento terminou o ano com 508 parques em operação. A potência eólica instalada chegou a 8,2% da matriz elétrica do país, praticamente empatando com a geração térmica a gás natural, que tinha 13 GW de potência e 8,3% da matriz.

Segundo a associação, em média, 18 milhões de residências foram abastecidas mensalmente pela fonte eólica em 2017.

Com isso, o Brasil ultrapassou a Itália no ranking mundial de capacidade instalada de energia eólica, na 9ª posição.

Até 2023, a Abeeólica estima que a potência instalada de energia eólica vai chegar a 18,639 GW. Serão construídos mais de 252 novos parques já contratados.

Leilões

No entanto, a curva de crescimento vai sofrer uma desaceleração, devido à falta de leilões para novos projetos nos últimos anos. Os leilões realizados em dezembro, porém, deram novo fôlego ao setor, com a contratação de 1,45 GW de capacidade, um investimento adicional de mais de R$ 8 bilhões.

O leilão do tipo A-4, que será realizado em abril, também deve ajudar na expansão da fonte eólica. Segundo dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), 1.672 empreendimentos foram cadastrados para a disputa, sendo 931 projetos de energia eólica.

A fonte libera a lista de inscritos em capacidade instalada, com 26.198 MW, de um total de 48.713 MW inscritos para o certame.

Postos de trabalho

A Abeeólica estima que cada MW instalado gera 15 postos de trabalho. Até o momento, são 180 mil postos de trabalho criados.

Foto: Camila Maia | Valor Econômico

banner prospecto

Natal volta a ser a “capital dos ventos” em abril

Natal voltará a sediar, nos dias 18 e 19 de abril, o mais importante encontro político-empresarial do setor eólico nacional. Trata-se do Fórum Nacional Eólico – Carta dos Ventos, que desde 2009 reúne as principais lideranças relacionadas com a chamada “indústria dos ventos”.  O evento será realizado nos auditórios da Escola de Governo do Rio Grande do Norte, no Centro Administrativo do Estado.
O Governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico – SEDEC apoiou e coordenou a mobilização de várias entidades empresariais do Estado para trazer o evento de volta para o Rio Grande do Norte, onde foi iniciado.
“O retorno da Carta dos Ventos a Natal é uma conquista importante para o Estado, porque somos o estado líder nacional em geração de energia eólica e, por conseguinte, a principal referência para os sucessos e desafios desse setor no Brasil”, justifica Flávio Azevedo, Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico.
Em sua oitava edição, o Fórum Nacional Eólico – Carta dos Ventos terá seções executivas, com reuniões fechadas pelas manhãs e plenárias com acesso gratuito, à tarde. “Ao mesmo tempo em que vamos a Natal reunir lideranças políticas com lideranças empresariais sobre o nosso setor, cumprimos também com o papel de promover a integração entre o setor eólico e a sociedade”, explica a presidente da Abeeólica, Elbia Gannoum. “Por isso, a Abeeolica apóia e faz parte da Carta dos Ventos desde a sua primeira edição, em 2009”, ratifica.
Segundo o coordenador do evento, Rodrigo Carvalho, da VIEX Americas, “2009 foi o ponto inicial da decolagem do RN como centro das atenções para o setor eólico. Dali saíram performances inigualáveis do estado nos leilões federais de 2009, 2010 e 2011. Entretanto, durante um certo período, entre 2012 e 2015, a Bahia conseguiu levar o Fórum em Salvador. Isso coincidiu também com uma grande arrancada daquele estado neste setor, fruto do aprimoramento do seu ambiente de investimentos e operações”, explica. E celebra: “Acho que damos sorte, e contribuímos para bons rumos do setor”.
A coordenação técnica e a grade temática dos dois eventos estão a cargo do CERNE – Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia, hoje com sedes em Natal/RN e Fortaleza/CE. “Este retorno a Natal é o resultado de uma união de esforços por parte de todos os que querem uma indústria eólica ainda mais desenvolvida e geradora de emprego e renda para o RN”, explica seu diretor-presidente, Jean-Paul Prates.
O evento contará também com um workshop específico para jornalistas e com um mini-curso sobre análise de viabilidade técnica e econômica de projetos, na manhã do dia 19, antes da cerimônia de abertura. Também durante o Fórum, será realizada Rodada de Negócios entre empreendedores, prestadores de serviço e fornecedores com a coordenação do SEBRAE.
As informações completas sobre programação, dinâmica do evento, inscrições e participações podem ser encontradas no site: www.cartadosventos.com, e nas redes sociais das entidades participantes.

Fonte: CERNE Press